Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

EM SOL MENOR

EM SOL MENOR

Dia 54

Fevereiro 23, 2021

O candeeiro na cabeceira era mera luz de presença, não permitia a leitura. Iluminava de mansinho a chávena de cerâmica pintada, os dois livros - àquela distância era impossível ler os títulos, mas o de cima era pesado e de capa amarela e o de baixo branco e estreito, quase sem lombada - e a caneta pousada na mesinha, bem como a almofada encostada à parede. A fronha era bege e com flores a pontuar a monotonia. A mesinha tinha de um lado a cama e do outro uma cadeira antiga, onde ele largara a roupa do dia sem critério. Uma manga de camisa roçava o chão de madeira com desespero. O quarto era monástico e obscuro, mesmo com o estore mal fechado. Estava vazio, mas cheirava a pessoas, como se alguém o tivesse abandonado em fuga pela janela sem cortinados. Fechei a porta sem ter chegado a ultrapassá-la, não me aventurei a apagar a luz.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub